Como enrolar transformadores

<< < (40/74) > >>

Eduardo:
Oi Pessoal

Acho que depois dos posts tão bem fundamentados do xformer, posso novamente colocar aquilo que sempre digo: paguem para alguém fazer seus transformadores! E não pode ser o Zé da esquina barateiro!

Quer enrolar um para ver como é, tudo bem! Acho um aprendizado válido! Ao menos vão aprender, como eu aprendi, a dar o devido valor a um transformador bem feito!

Existem duas razões que eu aceito como válidas para alguém se dedicar ao tema:

1- Pretende construir transformadores comercialmente e ganhar a vida com isso. (dá um bom dinheiro!)
2- Curte ter isso como hoby e gosta de passar horas curvado sobre uma bobinadeira!

Minha mãe faz tricô. Ela começou a fazer uma blusa para mim em maio. O inverno está acabando e não tenho a blusa! Comprar uma blusa pronta é mais barato e mais rápido. Mas ela passa horas agradabilíssimas escolhendo linhas, contando pontos, fazendo e desfazendo partes da peça!

Se você vai enrolar com isso em mente, boa sorte!

Abraços

Eduardo

harckan:
XFORMER

 :tup

valeu mesmo pela grande contribuição ao forum.

Não sei se entendi errado mas na sua resposta anterior você fala a respeito da isolação de cada camada em trafos de saída de baixa potencia, essa isolação feita com papel de seda que você refere, não é necessária a depender da potência do mesmo, é isso? é porque pelas pesquisas que fiz isso parecia até regra, acho interessante sua análise pois isso ajuda bastante quando se quer um trafo com um tamanho razoável, inclusive essa isolação hoje é utilizada nas grandes marcas por um papel de mylar mas que mesmo assim, fabricantes tradicionais ainda utilizam papel tipo um papel manteiga, que lógico feito especificamente para tal.

Quanto ao "banho" de verniz no trafo, isso é muito discutido, a grande maioria dos entusiastas DIY nos EUA não o fazem, pelo menos não da forma tradicional, eles passam uma camada fina de verniz no papel que isola cada camada de fio, eles dizem que fazer da forma tradicional, que seria mergulhar o trafo no verniz sem o equipamento necessário para curar e mesmo sucção, acaba gerando muita capacitância parasitária interferindo muito nas altas frequencias, então eles não o fazem dessa forma deixando seco como você disse e, falam que se durar 10 anos é lucro, hehehehe.

Grato mais uma vez por sua participação.



Abraço

Citação de: Eduardo em 17 de Agosto de 2011, as 10:17:00


Minha mãe faz tricô. Ela começou a fazer uma blusa para mim em maio. O inverno está acabando e não tenho a blusa! Comprar uma blusa pronta é mais barato e mais rápido. Mas ela passa horas agradabilíssimas escolhendo linhas, contando pontos, fazendo e desfazendo partes da peça!

Eduardo


Eduardo, perfeito sua comparação, é isso mesmo, quantos não passam horas cortando madeira, lixando, e tudo o mais necessário para se fazer uma guitarra, mesmo não tendo o conhecimento prévio para isso, e acaba ficando mais caro que comprar uma nova, mas como sempre digo, não acho que entramos no mundo DIY para economizar e sim pelo enorme prazer que nos dá em usar algo construido pelas nossas próprias mãos.

Acredito que os transformadores feitos por qualquer um aqui do forum não ficarão igual ao do Xformer ou mesmo os Hammond americanos, acho também que os valvulados não serão iguais ao Fender ou Marshall, mas um dia se chega lá, eu acho, hehehehehe.

Abraço

bossman:
Citação de: harckan em 17 de Agosto de 2011, as 10:36:04


Eduardo, perfeito sua comparação, é isso mesmo, quantos não passam horas cortando madeira, lixando, e tudo o mais necessário para se fazer uma guitarra, mesmo não tendo o conhecimento prévio para isso, e acaba ficando mais caro que comprar uma nova, mas como sempre digo, não acho que entramos no mundo DIY para economizar e sim pelo enorme prazer que nos dá em usar algo construido pelas nossas próprias mãos.

Acredito que os transformadores feitos por qualquer um aqui do forum não ficarão igual ao do Xformer ou mesmo os Hammond americanos, acho também que os valvulados não serão iguais ao Fender ou Marshall, mas um dia se chega lá, eu acho, hehehehehe.

Abraço


harckan não desista! Quando eu quiz fazer meu primeiro transformador também encontrei esses percalços, realmente parece que tão escondendo o jogo e tal diziam que era mais barato comprar pronto, mas eu queria faze-lo eu mesmo pra não ficar dependendo da má vontade dos enrolados enroladores de trafos pois então fui a luta  e depois de muito ler Martignoni, Isidro H. Cabrera, Radiotron Designers Handbook , James J. Brophy e desmontar uma série de transformadores pra aprender os "pulos dos gatos" hoje sei enrolar meus próprios transformadores. Minha dica é que você calcule o seu primeiro transformador e enrole se não ficar bom enrola outro e assim vai até enrolar um que você diga: esse aqui sim ficou bom! Aprender na prática é caro! Mas infelizmente foi assim que eu aprendi enrolar meus transformadores, e nessa época era mais difícil porque nem internet tinha.

fallout:
Acho que no final você olhar e dizer "esse eu fiz sozinho" da um certo orgulho, pode ficar meia boca mas dá! Diz que não é bem mais legal dizer "foi minha mãe que fez essa blusa" ou "comprei na loja da esquina". E a historia é bem essa mesmo, handmade sai mais caro que comprar pronto, só se economiza depois de muito aprendizado.

xformer:
Citação de: harckan em 17 de Agosto de 2011, as 10:36:04

XFORMER

 :tup

valeu mesmo pela grande contribuição ao forum.

Não sei se entendi errado mas na sua resposta anterior você fala a respeito da isolação de cada camada em trafos de saída de baixa potencia, essa isolação feita com papel de seda que você refere, não é necessária a depender da potência do mesmo, é isso? é porque pelas pesquisas que fiz isso parecia até regra, acho interessante sua análise pois isso ajuda bastante quando se quer um trafo com um tamanho razoável, inclusive essa isolação hoje é utilizada nas grandes marcas por um papel de mylar mas que mesmo assim, fabricantes tradicionais ainda utilizam papel tipo um papel manteiga, que lógico feito especificamente para tal.

Quanto ao "banho" de verniz no trafo, isso é muito discutido, a grande maioria dos entusiastas DIY nos EUA não o fazem, pelo menos não da forma tradicional, eles passam uma camada fina de verniz no papel que isola cada camada de fio, eles dizem que fazer da forma tradicional, que seria mergulhar o trafo no verniz sem o equipamento necessário para curar e mesmo sucção, acaba gerando muita capacitância parasitária interferindo muito nas altas frequencias, então eles não o fazem dessa forma deixando seco como você disse e, falam que se durar 10 anos é lucro, hehehehe.

Grato mais uma vez por sua participação.

Abraço



Você entendeu certo sim, só que eu não disse para potências baixas, mas disse para "tensões mais baixas" (são coisas diferentes, embora relacionadas - esse é o tipo de confusão que pessoal que não tem os conceitos de eletricidade faz,  misturar tensões com corrente com potência elétrica, etc). Como o isolamento dos fios esmaltados é melhor hoje em dia do que antigamente, você pode deixar de usar o papel de seda (ou fita de mylar = poliéster que é um plástico, não é papel) entre cada camada, porque a tensão não vai ser suficiente para dar centelhamento ou fuga (a menos que o esmalte seja raspado, trincado, etc). Isso não vale para isolar o enrolamento primário do secundário. Entre eles ponha um bom papel kraft, grosso o suficiente pra dar um bom isolamento. Entre eles a diferença de tensão é grande e o esmalte não vai aguentar.

Você pode ter alta potência com baixa tensão (num trafo de fonte de 12V x 10A por exemplo, são 120VA de potência), pode ter baixa potência e alta tensão (como num flyback de tv, uns 15000V e pouca corrente, com poucos VA de potência), ou mesmo alta potência e alta tensão (num trafo no poste ou na subestação - 750kV e 6000A - na casa dos MVA).  

Aqui cabe de novo aquela minha colocação, muita gente pode fazer o trafo, seguir uma receita, ter capricho e atenção no enrolamento, etc etc, mas depois não tem equipamento pra testar ou nem sabe como fazê-lo. Mesmo na justificativa aceita pelo Eduardo para um hobby, vai ficar por isso mesmo, vai ligar,, vai sair um som e a pessoa vai achar que está bom e acabou, não vai conseguir melhorar ou modificar a coisa. Podem falar: tem gente que consegue avaliar de ouvido, distinguir 0,001% de THD, comparar com outros trafos.  Eu acho bobagem. É muito subjetivo, e aí caí no gosto de cada um, e gosto é pessoal.  Também ás vezes é temeroso confiar nas medições que os fabricantes fornecem e especificam, cada um tem seu método e sempre puxam a sardinha pra brasa deles.

Ah tinha esquecido, vocês acham que é só aqui que tem gente querendo fazer trafos de saída, no forum da Audio List tem o mesmo assunto:

http://audiolist.org/forum/viewtopic.php?t=8821&start=90

http://audiolist.org/forum/viewtopic.php?t=371

Vale uma passada lá.

Navegação

[0] Índice de mensagens

[#] Página seguinte

[*] Página anterior