Handmades</center>
 
*
Bem-vindo, Visitante. Por favor faça o Login ou Registro. 18 de Dezembro de 2018, as 09:02:46


Login com nome de usuário, senha e duração da sessão


Páginas: [1]   Ir para o Fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: Guitarra Ibanez RGT 6EX (Depoimento)  (Lida 245 vezes)
Ramsay
Colaborador
***
Offline Offline

Mensagens: 738



« : 30 de Novembro de 2018, as 23:59:47 »

No final do mês de outubro de 2018 comprei uma guitarra Ibanez RGT 6EX zero kilômetro, que era outlet e morava numa loja do Rio há mais de 10 anos.
A minha é de 2007, sendo que essa guitarra foi descontinuada em 2010.
Ela apresentava oxidações em alguns parafusos (não ferrugem) devido a loja ficar próxima do mar na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.
Essas oxidações foram facilmente resolvidas, após um jato de WD40 que fez os parafusos ficarem como novos.

Após traze-la para casa, além das cordas velhíssimas notei que a escala estava muito ressecada. Por isso, tirei as cordas velhas e após proteger os trastes da escala com fita crepe, polí os trastes com bombril e em seguida enxarquei a escala com óleo de peroba e aguardei por uns 5 minutos, para o óleo de peroba entranhar na madeira da escala. Passado esse tempo, enxuguei a escala com papel toalha e em seguida poli com uma flanela.
Feito isso, a escala ficou perfeita e hidratada como saído de fábrica.
Então eu a liguei num amplificador valvulado e o som ficou bom, mas, ainda faltava alguma coisa.
Então, eu inverti os captadores do braço e da ponte (EMG-85 e EMG81) e ajustei a altura de ambos os captadores a 1.6 milímetros de altura.

Com isso, o som da guitarra ficou MARAVILHOSO e muito melhor que o das minhas outras 17 guitarras, incluído aí uma Fender American Standard com 3 captadores Seymour Duncan Hot Rails.

Então, porque essa guitarra tem o som tão maravilhoso, liso e cheio de sustain??
E a resposta é que o braço é feito de 5 peças de maple/walnut, assim como as da linha Elite e Signature, mas, ao contrário das Elite e Signature o braço é inteiriço, e por isso eu consigo um som superior ao das guitarras das linhas Elite e Signature.

O único senão é a ponte que na RGT6EX é uma Edge 3 que é uma ponte de média qualidade, contra a Edge 0 das guitarras de ponta da Ibanez.

Mas, o fato é que a minha ponte Edge 3 está muito bem ajustada e, mesmo após alavancadas fortes, mantém a afinação.

O fato é que essa guitarra, com as modificações que fiz se tornou a principal guitarra do meu set.

E a Ibanez, assim que constata que essas linhas alternativas superam as guitarras de ponta, as descontinua rapidamente.
Abaixo, o link que mostra a guitarra:
http://ibanez.wikia.com/wiki/RGT6EX

E se procurarem no Youtube vão encontrar vídeos dessa guitarra que mostram o quanto ela é boa, mas, não tanto quanto a minha, após as modificações que fiz.



Registrado
bossman
Administrator
DIY Freak
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 5.523



« Responder #1 : 01 de Dezembro de 2018, as 14:51:26 »

Essa não é uma guitarra de ponta da marca? Pra já vir com EMG 81 e 85 eu já consideraria ela de ponta há muito tempo  Cheesy

Legal esse seu relato !
Registrado

Ding-Ling things, low-cost, low protection. Verbis defectis musica incipit
Ramsay
Colaborador
***
Offline Offline

Mensagens: 738



« Responder #2 : 02 de Dezembro de 2018, as 16:14:05 »

Ok, obrigado por apreciar o relato. Eu acho que essa guitarra, se ainda fosse fabricada hoje em dia, seria da linha Premium e no lugar da ponte Edge III usaria uma Edge II, que também é mediana e perde em qualidade para as Edge.
Registrado
Emachado
Iniciante
*
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 84



« Responder #3 : 02 de Dezembro de 2018, as 20:34:46 »

Quando o músico tem conhecimentos sobre a mecânica e a qualidade do material empregado em um instrumento, há como "garimpar" essas preciosidades.
Ontem mesmo eu conversava com um amigo músico profissional e que faz ele próprio a maior parte da manutenção em seus instrumentos de percussão e de cordas. Todo músico deveria saber aspectos básicos do funcionamento de seu instrumento.
Sou luthier amador e, como todos sabem, o que rende algum dinheiro é regulagem e não as construções ou customizações.
Sobre a guitarra, respondendo à pergunta, as super strato Ibanez são reconhecidas pelo conforto do braço. O wenge ajuda para que a empresa utilize espessuras menores nos braços, pois é bem estável e com boa dureza, maior que a do maple.
Como é uma Neck-through, há particularidades no timbre. Há maior sustain, porém é menor o ataque (as notas aumentam a complexidade/harmônicos após a palhetada de forma diferente das guitas com braço parafusado). Ao menos é assim que ouço quando o som não está com distorções high gain.
Nunca toquei ou fiz manutenção em guitas com EMG ativos. Dizem que eles soam da mesma forma em qualquer guitarra em que estejam instalados. Não sei se isto acontece de fato.
Parabéns pela aquisição.
Registrado
Ramsay
Colaborador
***
Offline Offline

Mensagens: 738



« Responder #4 : 04 de Dezembro de 2018, as 18:13:49 »

Citar
Parabéns pela aquisição.
Obrigado.
Citar
Dizem que eles soam da mesma forma em qualquer guitarra em que estejam instalados. Não sei se isto acontece de fato.
Eu tenho algumas guitarras equipadas com captadores ativos, tanto da EMG quanto da Seymour Duncan e te afirmo que dependendo da guitarra, eles soam de forma diferente. Por exemplo, numa guitarra que tem o braço em maple e a escala de ébano, os captadores ativos soam com mais brilho. Já noutra guitarra com corpo e braço colado de mogno, o som dos captadores ativos é mais fechado, privilegiando mais os médios.
Mas, na Ibanez RGT 6EX, não sei se devido à construção neck-true ou ao braço inteiriço em 5 peças, o som dos captadores ativos é mais equilibrado e enfatiza tantos os graves quanto os médios e os agudos.
Registrado
Páginas: [1]   Ir para o Topo
  Imprimir  
 
Ir para:  


Powered by MySQL Powered by PHP Powered by SMF 1.1.21 | SMF © 2006-2009, Simple Machines

XHTML 1.0 Válido! CSS Válido! Dilber MC Theme by HarzeM
Página criada em 0.121 segundos com 21 procedimentos.
SimplePortal 2.3.3 © 2008-2010, SimplePortal